Operadores de guindastes, gruas e similares monitorizam e operam guindastes fixos e móveis e outros equipamentos de elevação (ILO, 2018).

Probabilidade de risco baseado no estudo seminal de Frey e Osborne

Características do Grupo Profissional e ocupações similares

Trabalhadores não qualificados de transporte e armazenagem

Os trabalhadores de transporte e armazenamento impulsionam e conduzem veículos cíclicos ou veículos puxados por animais para transportar passageiros ou mercadorias, conduzem máquinas puxadas por animais, manuseam carga e bagagem e prateleiras de armazém (ILO, 2018).

  • Operadores de máquinas agrícolas e florestais móveis
  • Maquinistas
  • Operadores de máquinas de terraplanagem e similares
  • Operadores de empilhadores
  • Operadores de gruas
  • Bagageiros de aeroporto
  • Carregadores de mercadorias
  • Ajudantes de armazém
  • Operadores de guindastes
  • Condutores de veículos accionados à mão ou a pedal
  • Condutores de veículos e máquinas de tração animal
  • Repositores de produtos
  • Paquetes
  • Bagageiros

Informações básicas

O pessoal especializado, com alto grau de competência, tendia a estar protegido dos avanços tecnológicos. No entanto, devido a um aumento exponencial no poder de computação, avanços em sensores e design de software, bem como um aumento exponencial no comércio e volume dos produtos movidos, tarefas complexas podem agora ser executadas, com um menor grau de falha, por máquinas automatizadas. Estas tecnologias são maduras e, devido à concentração significativa da ocupação em locais centralizados, várias ações foram implementadas em todo o mundo.

Exemplos de caso

O porto de Roterdão (um dos maiores no Mundo) adquiriu, recentemente, guindastes quase totalmente automáticos. Os guindastes de contentores do porto não são tripulados e funcionam de forma praticamente automatizada. Robôs, com uma altura superior a 125metros, dão as boas-vindas ao porto de Roterdão, no terminal automatizada RWG. Os terminais deste porto são os mais automatizados do mundo, operando de forma bastante autónoma, utilizando operadores remotos, registando-se uma perda de quase 1000 postos de trabalho.

No porto de Sydney, na Austrália, operam 45 AutoStrads ou transportadoras automatizadas. São máquinas que assumiram o trabalho que, até alguns meses atrás, era em parte realizado pelos estivadores.

A primeira quinta totalmente automatizada, equipada com máquinas, que fará de tudo, desde a replantação de mudas jovens até a irrigação, corte e colheita.